01/05/06

TERMINUS 0: O PORQUÊ DA RIVALIDADE

Em circunstâncias normais, o normal seria fazer um balanço somente lá para o mês de Outubro – altura em que completaria um ano na Boavista – contudo, isso só seria possível se ainda lá estivesse. O que não é o caso. Pelas minhas contas foram seis meses, o que já não é mau, já dá para fazer alguma apreciação.
Antes de mais, um breve esclarecimento (os que já sabem, estão à vontade para saltar esta parte, se assim o quiserem): eu não caí na Boavista de pára-quedas, já lá havia estado cinco anos antes e só me surpreendi por ver que certas coisas continuavam na mesma. Eu, porém, mudei bastante no espaço de cinco anos. De tal modo que, além de aprender a usar uma faca e um garfo, decidi lançar-me num empreendimento ambicioso e, disseram-me alguns, “impossível”.
As circunstâncias e o tempo – que eu sabia ser escasso – estavam contra mim. Apesar disso, não desisti e tentei dar o meu contributo para a resolução deste conflito. Em Espanha temos os conflitos entre os separatistas bascos e o Governo; em Israel, temos o conflito israelo-árabe; na Irlanda do Norte, são católicos contra protestantes. Na Boavista, é CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO contra ARQUITECTURA. E percebe-se bem o porquê desta rivalidade.
Antes de regressar à Boavista trabalhei quatro anos em Santa Marta e nunca consegui compreender bem as rivalidades entre cursos que lá existiam:
ECONOMIA vs. GESTÃO
LÍNGUAS E LITERATURAS MODERNAS vs. TRADUTORES E INTÉRPRETES
DIREITO vs. RELAÇÕES INTERNACIONAIS
PSICOLOGIA vs. SOCIOLOGIA
entre outras.

Sendo CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO e ARQUITECTURA duas vertentes do mesmo domínio científico – ao contrário das anteriores demonstradas – compreende-se esta questão da rivalidade. Eis alguns dos motivos:

As cadeiras comuns
Por vezes a turma do 1º ano de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO tem aulas com a turma do 2º ano de ARQUITECTURA numa sala onde mal cabe a turma do 1º ano de Ciências da Educação[1]. O espaço reduzido conduz a comportamentos nervosos e, por vezes, erráticos.

A utilização do estúdio de rádio ou de TV
Quantas vezes é eu que não ouvi queixas de alunos do 6º ano de ARQUITECTURA que precisavam de utilizar o estúdio de TV para editarem um spot publicitário, que seria depois inserido numa maqueta, e não o podiam fazer porque estava lá a turma do 3º ano de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO?

A utilização da plotter
Às vezes os alunos do 4º ano de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO da variante de Jornalismo querem imprimir uma plotagem para a usarem numa reportagem televisiva e não o podem fazer porque os alunos do 3º ano de ARQUITECTURA estão lá dia e noite.

Perante situações como estas É PERFEITAMENTE COMPREENSÍVEL A RIVALIDADE ENTRE ESTES DOIS CURSOS.
Meus caros, um conselho: sejam superiores à mesquinhice. Não vale a pena lutarem por um objectivo pobre de valor ou significado. Quem é que esperam impressionar com as vossas querelas? E agora estão a pensar ‘Eu não sou assim.’ ou ‘A culpa não é minha.’Errado. A culpa é VOSSA!
Mais importante que apontarem falhas uns aos outros, faziam melhor em (é uma ideia estúpida, mas eu vou dizer na mesma), coordenar esforços para a concretização de objectivos comuns.
Dou dois exemplos:
1 - Os alunos de ARQUITECTURA costumam fazer recolha de imagens, geralmente via fotográfica, dos locais onde vão ser construídos os edifícios que vão projectar.
Os alunos de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO (a partir do 2º ano) fazem recolha de imagens através de vídeo, primeiro para se habituarem aos aparelhos, depois para a realização de reportagens.
Eis a minha ideia: quer me parecer que a utilização de imagens de vídeo oferece mais vantagens que a simples fotografia; assim, enquanto uns aprendem a filmar e a editar, os outros podem usar o "bruto" das filmagens para os seus projectos.
Talvez eu fale sem saber.
2 - A turma do 1º ano de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO fez uma visita ao Museu de Arte de Contemporânea em Lisboa
Mais ou menos por essa altura uma turma de ARQUITECTURA (não sei se do 2º ou do 3º ano, confesso) iniciou um projecto cuja tema era um… Museu de Arte Contemporânea
Suponho que os alunos de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO tenham elaborado um relatório ou trabalho qualquer a propósito da visita (conhecendo o professor que os levou lá, acredito piamente que sim embora não ponha as mãos no fogo por isso), assim como acredito que os alunos de ARQUITECTURA tenham recolhido informações várias acerca deste tipo de museus (incluindo o museu visitado pelos “outros”.)
Novamente, declaro a minha ignorância. Mas aproveito também para expor duas situações que sei que vos vão chocar.
ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO A COMPRAREM CÓDIGOS DO CURSO DE ARQUITECTURA
e
ALUNOS DO CURSO DE ARQUITECTURA A COMPRAREM CÓDIGOS DO CURSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO
DE PROPÓSITO!
Especifico que foi de propósito para não começarem já com esperanças vãs. 'Se calhar enganaram-se.' Não. Foi deliberado. Aperceberam-se que naqueles códigos estavam informações relevantes para a realização dum trabalho, duma apresentação ou mesmo duma frequência.
A informação deve ser sempre considerada e não descartada a priori devido à sua origem. Perdoo este tipo de displicência ao pessoal de ARQUITECTURA, mas ao pessoal de CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO só tenho a dizer: a vossa atitude é estúpida. Principalmente para aqueles que querem seguir Jornalismo. Habituem-se às fontes que conseguem arranjar e não àquelas que gostariam de arranjar. Podem não gostar da pessoa, mas a informação que essa pessoa vos dá é que importa.
Não discutam sobre que curso é mais difícil. Uns têm trabalhos e exames e frequências ao longo do ano, os outros vão a casa uma vez por semana porque não entregar um trabalho pode significar chumbar a uma cadeira e chumbar uma cadeira é - literalmente - chumbar o ano inteiro.
E notem, eu não tomo partido de nenhuma das partes envolvidas neste conflito. No entanto, há que pensar: como seria o mundo hoje em dia se a Alemanha ainda estivesse dividida?
Sou a favor da existência do Muro de Berlim na Boavista. Acho bem que tenham escrito aquela frase por uma razão: é mais fácil acabar com algo quando esse algo é visível. Há cinco anos a rivalidade entre CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO e ARQUITECTURA era um fantasma que ninguém admitia que existia, hoje é real e já não se consegue esconder.
Quem escreveu a famigerada frase pode tê-lo feito com um intuito provocatório e de auto-afirmação mas deu, inadvertidamente, o primeiro passo para combater este problema.
Os meus parabéns a essa pessoa.

[1] A minha ex-posição conferia-me acesso a certos privilégios como, por exemplo, saber que a turma do 1º ano de Ciências da Educação é composta por dez alunos).

6 comentários:

MissFriky disse...

td deve d ter komexado devido akela porta preta e imponente! pk n nos é permitido (a nós alunos d C.C.) paxar por akela porta! e dp pk eles tem Pc melhores k os noxos, tem 1 xkada só deles td marada e pk bebem + cafe k nós! ahh e pk dormem nos carros à porta da Uni.
bem e ja agr sao 1s antipatikos pk paxam pela noxa porta e n nos falam e ainda olham d lado
opah olha n sei....merda!
bjiiiis*

Anónimo disse...

Joel és sem duvida um ser iluminado!!! Em 6 meses tiras-te um raio-X impecavel lol.
Podes estar descansado que passarei a mensagem.

Obrigada por tão sabios avisos!

Beijocas

Su

Anónimo disse...

Realmente só este rapaz para colocar as coisas desta maneira,a sangue frio.Que crueldade verdadeiramente real, eu ja estudo na comunidade boavisteira C.C.(isto de comunidade é só um pro-forma)há 3anos e nunca nenhuma alminha me soube explicar o porquê desta rivalidade, apenas me incutiram o ódio, a revolta, a crueldade perante os meus colegas de Arq. É verdade, caros amigos eu sinto-me ultrajada porque apesar de ser uma Autonoma, tomei partido de uma realidade completamente desprovida de senso comum. Infelismente é uma realidade completamente descabida,mas então... vá unam-se porque precisamos uns dos outros (foi bonito,hein)!
O rapaz que escreve estas coisas é uma pessoa, volto a repetir de uma capacidade de idealização muito encorajadora e profunda!!! lllloooll T

joana disse...

Joelito,a verdade é mesmo essa:quando não exitem razões aparentes para determinada divisão,há que ir buscar o que de mais reles se encontra,à falta de melhor.É verdade que essa desunião mal-fundamentada existe.E é pena.Porque poderíamos fazer tanto pela faculdade,uns pelos outros e por nós próprios se soubessemos o verdadeiro valor de uma equipa.Os arquitectos podem ser antipáticos,como diz aquela pessoa(missfriky?)que escreve com tantos "x" e "k"(vá-se lá saber como é que alguém quer fazer o seu ramo sentir orgulho escrevendo dessa maneira!!)mas nós também não seremos os seres mais empáticos do mundo!É uma excelente visão,a tua.
Beijinhos:)

Missfriky disse...

ò sra dona joana 1º n faz ideia d kem sou e d kal a vertente k kero seguir portanto n s meta a fazer juizos e a ser prekonceituosa (n aprendeu ixo em psicologia...pois devia), ate pk voxe n é ninguem para m critikar pk tal cmo dixe nem sabe quem sou! 2º xcrevo d X e c K e com tds as abreviaturas poxives e impoxiveis pelo simples facto K M APTECE! e n pode fazer nd contra ixo...pode criticar sim sra mas ao - critike d pexoas k conhece e n d xtranhus, kk dia arranja problemas c exe seu ar altivo! ate pk eu n tenhu tempo a perder em frente a 1 Pc (a vida é curta e há mt a fazer...+ do k tar em frente a 1 Pc a reparar e a critikar a maneira cmo os otos decidem xcrever um comentario) pa ver s ta td bonitinhu kd kem vai ver xto são amigos, mas pelos vistos agr tenhu k paxar por 1 corrector d erros! so para terminar: n é o facto d xcrever c mts abreviaturas k faz de mim uma má profissional da comunicação...tb ja devia d ter percebido ixo logo no seu 1º ano de curso!
paxe bem e arranje algo + produtivo do k aumentar o seu ego criticando pexoas k n conhece e cmo tal n pode enfrentar...

Anónimo disse...

Só posso dizer que no primeiro dia em que entrei no pólo da Boavista, e já lá vão quase 4 anos, o sr. Felgueiras; conhecido de todos nós, antes que eu me conseguisse apresentar disse com o seu ar simpático: olá minha menina, então és de ciências da comunicação! E não, não foi uma só uma questão (como diria o meu colega e agora amigo Francisco) foi uma afirmação, que eu só consegui explicar na altura, com o meu ego do tamanho do mundo, com um pensamento: "devo mesmo ter ar de comunicadora". Algumas semanas depois consegui perceber a razão de tal afirmação. Os Srs. arquitectos são realmente diferentes...no entanto, não encontro neste facto motivo aparente para a (não lhe chamo rivalidade) falta de comunicação existente entre os dois cursos.Mas devo dizer-vos que existem amizades entre os alunos dos dois cursos...excepções que só confirmam a regra. E mais vos digo é uma pena, não sermos todos amigos... os arquitectos são tão giros, com aquele ar de esgalhados!!!
Enfim...eu já não vou a tempo, agora fica nas mão de quem por lá fica mudar o estado da "coisa".

bj.
katy