23/08/06

TERMINUS 11: PELA SEGURANÇA DA NAÇÃO


PRIMEIRA PARTE
A notícia saiu na semana passada num diário bem conhecido do povo português e falava da aquisição de material técnico ao exército israelita por parte da Polícia Judiciária para proceder à vigia de sites e salas de conversação (Messenger, Skype, mIRC, etc.).
Ao ler esta notícia não pude ficar indiferente e, como bom cidadão que sou, a primeira coisa que fiz quando cheguei a casa nesse dia foi ligar-me ao Messenger e mudar a minha mensagem pessoal para Mensagem especial para qualquer agente da autoridade que possa estar a ler isto: NÃO TÊM NADA MAIS INTERESSANTE PARA FAZER, NÃO?
Mas isto, meus caros, não é nada. Vou explicar-vos uma coisa. A PJ não começou a vigiar as nossas conversas electrónicas agora, já vigia há mais tempo; só que agora tem material mais sofisticado ao seu dispor. Do pouco que sei – e é mesmo pouco – existem programas que disparam alarmes sempre que são localizados certos termos registados numa lista especial. Às vezes as escutas são feitas por motivos profissionais, outras vezes por motivos de recreio. Não quero julgar aqui ninguém. Sei bem o que é ter um trabalho secante para fazer e compreendo a acção do agente de escuta que se serve do Programa de Controlo da Palheta Online (PCPO) como se este fosse um sintonizador de rádio.
Quando há combinações de compra de droga utiliza-se o termo “CD”. Isto foi-me dito, não sei se é verdade ou mentira. Uma coisa é certa. O termo “CD” pode ser mesmo CD. Se algum dia decidirem aceder a salas de conversação mais obscuras descobrirão que “CD” é também abreviatura de “cross-dresser” (travesti em português). A minha pergunta é lógica e legítima: do que é que eles andam realmente à procura?
Mais algumas advertências sobre essas salas, caso algum dia decidam ir lá:
1 – Sempre que um username esteja entre chavetas { } é porque já tem dono (quem curte de cenas sado-maso sabe do que eu estou a falar melhor do que vocês ou mesmo eu)
2 – Nomes altamente sugestivos geralmente pertencem a pessoas do sexo oposto ao que é apresentado. Ex: NymphoBlonde é geralmente usado por um careca de óculos (com todo o respeito que os carecas de óculos merecem)
3 – Raparigas de 19 anos são gordas, baixas e têm 60 anos.
4 – Os homens têm todos pénis descomunais (mesmo aqueles que fazem companhia com o Farinelli).
Compreendo a necessidade duma segurança apertada. Numa altura em que a ameaça terrorista ameaça pairar sobre o nosso país não é tempo para brincadeiras. É preciso prevenir.
É claro que não há bela sem senão. Neste caso, o reverso da moeda são aquelas pessoas que se preocupam muito com a sua privacidade electrónica mas que, ao mesmo tempo, contam tudo pessoalmente na condição de que a outra pessoa não conte nada a ninguém. Se são muitas ou poucas não interessa, interessa é que nos arriscamos a vê-las desistirem de utilizar a Internet e o telefone e o telemóvel e isso não augura nada de bom para as intenções do Governo de promover o choque tecnológico.

SEGUNDA PARTE
Uma semana depois de ter lido a notícia referida no início do artigo, li uma outra notícia sobre o perigo de violação das telecomunicações das forças de segurança pública por parte de radioamadores ou mesmo de criminosos.
O que temos aqui é um caso típico de vigias a serem vigiados. Nada de grave. Estamos em Portugal. Vigiar conversas privadas de altos funcionários do Estado não vai revelar nada que não tenha sido já revelado “por fonte anónima do gabinete do adjunto do assessor do Ministério” no dia anterior, num tablóide de grande tiragem.
Peço desculpas pelo tipo de vocabulário utilizado, mas temo que esta mensagem possa estar a ser lida por terceiros. Daí a minha preocupação em escrever este texto de forma aparentemente simples, ao mesmo tempo que recorro a técnicas criptográficas do mais avançado que há.
É claro que há um lado bom em termos as nossas forças de segurança vigiadas por criminosos. Primeiro, os criminosos conseguem saber de antemão os movimentos dos agentes da autoridade e agir em conformidade. Segundo, à medida que as forças de segurança pública aumentam o seu nível tecnológico, os criminosos vêem-se obrigados a fazer o mesmo.
Duma perspectiva tecnicista, essas disputas de equipamento só são boas para o choque tecnológico. O nosso país precisa duma guerra dessas. E se por acaso calharem a apanhar um ministro ou uma figura política de alta importância a tecer comentários jocosos sobre o site da Ana Malhoa, por favor, sejam amigos e partilhem isso connosco. Temos saudades duma boa escuta.

Sem comentários: