20/09/06

PICTORE 1: PROTUBERÂNCIA SOLAR

TERMINUS 12: A ANTESTREIA DO REGRESSO

Após meses e meses de artigos sobre temas tão diversificados como a cultura do azoto e a esferovite como solução para as infiltrações de humidade decidi retornar ao campo temático que tornou este blogue um dos mais visitados de todos os tempos: o estragão.
É verdade. Num blogue dedicado ao estragão nada mais coerente que falar do estr— Ó merda! Já fiz asneira. E agora como é que se apaga isto? Será aqui? Aorgo rtgjregjrg fnb bnifth itnbi iunu itibunxti ubxtu ibnxiu bniuxt nbu xnbi uftx biuxnbi un nefgnziu gtbxtig znbnu ifnbin ibni tynhiu xnbiu nxftihn xiu hnxiub nxnxobni on hxo itnbxiubni xuntiux ntiun xiunj+j+d j0w9 duj 035uw a8u<80f>
Voltei à Boavista. Fui numa visita oficiosa e revi umas pessoas e estive com outras. Apesar de não parecer, gostei de lá ir, gostei de lá ter estado.
NOTA: Peço desculpas pelo rumo sem nexo e quase lamechas que este artigo está a tomar, mas aguentem mais um pouco. Chama-se a isto construir uma piada.
Adeus aos que ficam, olá aos que vão. Ou ao contrário.
Isto foi a construção.
E agora a piada:
Ao contrário é burro com égua.
Incrível! Num só artigo abordei o tema da saudade e passei de forma completamente lógica para o campo da engenharia genética e do cruzamento de espécies! Só mesmo aqui!
Para os que não percebem o que é isto do cruzamento de espécies, eu explico: peguem num frango e juntem-no com uma dourada. É claro que só isto não chega, há que compor o ambiente. Umas luzinhas, talvez uns sais, daqueles que fazem bolhinhas e tal. Ah! E convém o frango ser daqueles tipo galinha d’água, estão a ver? Depois, esperam nove meses ou o que for e aproveitam o que sair de lá.
Nunca ouviram aquela expressão ‘não é carne, nem é peixe’? Descobri há uns meses atrás que nome se dá a isso.
Crocodilo.
Deu num programa que estava a falar dum restaurante em Nairobi que servia carne de crocodilo e o gerente dizia que aquilo sabia a uma mistura de carne e peixe. Não era nem uma coisa, nem outra. Mas se for só isso, podia ser também salada. Ou ‘não é água, nem é vinho’, é o quê? Cerveja, sumo, leite.
E porque é que falei disto? Não faço ideia. Basicamente porque estou a encalhar. (Mas ainda lúcio, perdão, lúcido o suficiente para escrever ‘estou’ e não ‘tou’). E espero levar vocês comigo neste encalho
Sim! Eu sou o Cronista de Heimlin! Sigam-me, meus pupilos!
Ou não.
Ok, quando as aulas começarem, eu faço uma visita oficial. Mas quero um tapete vermelho à porta. Se não tiverem um, pode ser aquele encarnado. Eu não sou esquisito.