19/04/10

TERMINUS 77: O 1%


Aqui há dias cometi um erro.
Eu sei que esta informação acabou de deixar muita gente em estado de choque. Muitos, provavelmente, para não dizer certamente, jamais consideraram que eu fosse capaz disso. Não de cometer um erro, já que isso eu faço com abundante frequência (e gosto), mas de o assumir.
O que se passou? Portanto, eu li uma notícia, tirei as minhas "conclusões" e publiquei uma mensagem no meu Facebook que dizia o seguinte:

O Bono comprou 1% disto por 67 milhões de euros. No Ano Internacional de combate à pobreza, é bom saber que ainda há pessoas que não gastam dinheiro em merdinhas.

A ideia era, sempre que alguém clicasse num link no Facebook, escutasse um sample duma música dos U2. De preferência sempre a mesma (porque toda a gente sabe que não cansa ouvir dezenas ou centenas de vezes a mesma coisa; quando os pais nos davam sermões... ui! adorávamos aquilo!).
Considerei um caso sério de hipocrisia, alguém que tanto dizia "Os países ricos têm de ajudar os pobrezinhos." (tipo Luciana Abreu, mas sem sotaque). E depois gasta 67 milhões de euros em 1% duma rede social? Aquele 1% é o quê? Os contactos dele? As fotos da namorada? Se dividirmos o ecrã em 100 quadradinhos há um deles que é do Bono?
Já se sabe que, nisto dos dinheiros, nós cá ganhamos sempre mal (tirando o António, claro) e que lá fora as coisas são sempre caras. Se calhar na Irlanda, 67 milhões de euros é o que se gasta por semana em cerveja e whisky.
Por causa disto, eu falei mal do Bono. Só que, e foi aqui que eu detectei pela primeira vez que poderia estar a ser injusto para com o mocito, o cheque que ele passou não foi de 67 milhões, mas sim de 67 milhões e um euro. "Para os senhores do Facebook ajudarem os pobres."
Eu percebi que tinha cometido um erro quando descobri que 0,000001% do Facebook contém 30% do VDR (Valor Diário de Referência para Adultos). A cada 100 pixéis correspondem 372kcal em valor energético, 8,8 g de proteínas, 3,7 g de fibras alimentares e 60 g de hidratos de carbono. Isto tudo a dividir por não sei quantos milhões de pessoas, era um petisco.
É mentira. Não aconteceu nada disto. Ele gastou 67 milhões de euros em 1% duma rede social. Não me perguntem porquê. Eu quando era pequeno e me davam dinheiro, diziam sempre "Não o gastes mal gasto." O meu azar era na altura não haver redes sociais. O máximo que se podia fazer era termos um grupo que conversava por correspondência e eu comprar um por cento de cada selo. O que seria estúpido.

Sem comentários: