24/06/10

TERMINUS 109: TALVEZ SEJA O FIM DO MUNDO


Começo a acreditar no Fim do Mundo, o Apocalipse como alguns lhe chamam. Não sou uma pessoa crente, longe disso, mas sei ver os sinais e estes são por demais evidentes. Decerto que muitos de vocês estão a par do que me inspirou tanto receio, embora nem todos devam partilhar do mesmo sentimento. É um bocado como um copo à beirinha da mesa. Uns olham para o copo e vêem um simples copo, outros, como eu, encaram-no como um possível catalisador de acidente e afastam-no da beira.

Neste caso, o que me alertou não teve nada a ver com um copo apesar de, confesso, me ter dado vontade de tomar qualquer coisa. Adiante. Tenho neste momento trinta anos e o meu último contacto com a escola oficial foi há mais de dez. Digo isto para que todos nós estejamos em sintonia. Pode ser que parte do que atemorizou seja pura e simples desactualização minha. Duvido.

Seja como for, o que eu li no jornal é inquietante e deixa-me preocupado com o que poderá vir aí. Segundo várias notícias que eu li em diversos jornais (para ter a certeza do que estava a ler) os exames de Matemática deste ano, tanto do 9º como do 12º foram fáceis. Alguns alunos dizem mesmo “facílimo”. Isto é uma clara manifestação de qualquer coisa que eu até temo pronunciar. Houve quem, numa tentativa de escamotear o que se estava a passar, dissesse que tinha sido tudo graças à professora que os preparou bem.

Será que podemos acreditar nestes depoimentos? Como eu disse antes, estou desactualizado do que se passa dentro duma sala de aula hoje em dia, mas tenho ouvido dizer com frequência que os professores passam mais tempo a avaliarem outros professores, a fazerem trabalho administrativo e a levarem com biqueiros em cima do que a tentar ensinar o que for aos alunos. Que lhes ensinem alguma coisa, admito. Que isto tivesse acontecido no exame de Educação Física ou de Informática, ainda vá. Não em Matemática. Houve até um aluno que reprovou, caso raro hoje em dia, e que se inscreveu no exame só para “saber como é que era”.

Pais de todo o País, tende cuidado! Essas criaturas que chegaram a casa todas contentes e sorridentes porque o exame de Matemática lhes correu muito bem podem não ser os vossos filhos. Se o seu filho foi um dos que disse esperar ter 100 por cento nesse exame, confirme se ele ainda tem aquela cicatriz na nuca de quando caiu ao andar de triciclo. Se o seu filho, ou filha, não possuem qualquer sinal cicatriz ou marca que o distingam dum possível sósia ou clone, leve-o a um exorcista. Não encare as minhas palavras com desdém, senão estaremos todos perdidos.

Tal como nos filmes do Kaufman e do Ferrara, as nossas crianças e adolescentes, com o mau aproveitamento escolar que tanto nos caracterizava, tornaram-se autênticos génios no espaço de um ano. De certeza que foram substituídas por arautos das forças do mal. Ou isso ou fizeram uns exames estupidamente fáceis para todos terem boas notas. Até mesmo quem tinha tido só negativas durante o ano. Hum... Confesso que estou indeciso.

Sem comentários: