05/06/10

TERMINUS 90: CHEGA DE REPRESENTATIVIDADE (?)



Um dos temas mais falados no momento tem a ver com o número de deputados no Parlamento. Numa altura em que se fala de contenção de despesas, é animador ver os líderes da Nação preocupados em dar o exemplo.

O PSD, considera a redução do número de deputados com "espírito de abertura". O objectivo do maior partido de apoio ao Governo é "alcançar uma relação de maior proximidade entre eleitos e eleitores" por via duma alteração dos círculos eleitorais, "tornando-os mais pequenos". Embora não perceba nada, deve ser giro, mas será bastante para convencer os restantes partidos?
O CDS-PP, é contra a redução do número de deputados porque não passa duma ideia demagógica que pode prejudir a representatividade e a qualidade da democracia. "Há mais administradores de empresas públicas do que deputados" disse João Almeida, e "ganham mais do que os deputados". Segundo o Orçamento da Assembleia da República, a verba destinada ao vencimento dos deputados é de 12 milhões e 349 mil Euros – a dividir por 230 deputados dá meia dúzia de tostões. Menino João, não sabe que é feito ter inveja?
O PCP também é contra, uma vez que isso pode levar a uma maior representação do PS e do PSD, além de diminuir a pluralidade. "A única redução de deputados que beneficiará o país" seria uma redução dos que "têm apoiado a política de direita", disse Bernardino Machado. Por outras palavras, a ideia não é má, mas só se for para os outros.
Algures no espectro político, o PS também se diz contra a ideia. "Não é sério num momento de crise estar a fazer uma discussão dessa natureza.", disse Francisco Assis. Nem mais. Os meninos ganham uma pipa de massa, têm tudo pago e a gente tem de andar a contar os tostões todos? É mesmo má vontade nossa.
"Há uma diferença entre a rua e o Parlamento". É verdade. Nisso tenho de lhe dar razão. Na rua as pessoas são muito mais bem-educadas. Além de roubarem menos. "No dia em que desaparecer a diferença entre o Parlamento e a rua, o Parlamento deixa de ser necessário. E no dia em que o Parlamento deixar de ser necessário a democracia está em perigo", disse. Ui que medo! É o fantasma do Salazar que vem aí! Uuuu!
Francisco Louçã, o líder do Bloco de Esquerda diz que o PS quer reduzir o número de deputados no Parlamento para se “ver livre da opinião dos portugueses”. Não é bem isso Francisco. Eles só querem reduzir o número de deputados que são contra as medidas do PS.
Que são quais? Ora bem, o PSD está a favor do PS no que toca às medidas de austeridade, por isso não devem ser esses. O PCP, o CDS e o Bloco estão a favor em ser contra a redução do número de deputados. Também não devem ser. Quem é que sobra? O PPM?
Eu acho simpático ver todos de mão dada, mas se calhar está na hora de apertarem também o cinto, não? Vão a pé para o trabalho, comem uma saladinha de alface e tomate ao almoço, não metem dinheiro ao bolso. Basicamente, é fazerem aquilo que pedem às pessoas para fazer. Senão, quando saírem à rua, vão ver o que vos espera.

Sem comentários: