13/06/10

TERMINUS 96: A ARRECADAÇÃO DA EUROPA


Portugal continua sem aprovar o seu Plano Estratégico Antiterrorista!
Não o surpreendi? Já calculava. Ah! Nem sabe do que eu estou a falar? Eu explico.
Segundo notícias lidas esta semana, em 2005, o Conselho Europeu aprovou a Estratégia Antiterrorista Europeia. Todos os países participantes definiram os seus protocolos sobre como enfrentar este perigo. Todos, excepto o nosso. E porquê? Vamos ver.
Em 2001 começou a era Alcaeda. O 11 de Setembro não foi a sua estreia nos atentados mas foi, sem dúvida, o mais mediático. A esse seguiram-se o ataque na estação de comboios de Atocha, em Madrid, e o atentado no metro de Londres. Ambos em datas aleatórias mas que, por virtudes da numerologia, tinham sempre algo a ver com o 11 de Setembro.
Se somarmos os algarismos todos, menos o 2 o 0, da data do atentado de Atocha, ficamos com o número 9 que foi o mês em que aconteceu o 11 de Setembro. Se juntarmos depois o 2 ficamos com o 11 que foi o dia.”
A partir daí, sempre que a Alcaeda perpetrava um atentado terrorista em território europeu muito português ficava a pensar, “Da próxima somos nós.” Quando o senhor José, então Durão, participou na Cimeira dos Açores e declarou o apoio de Portugal à intervenção americana no Iraque, ficaram todos em pânico porque iríamos ficar na mira dos terroristas.
Portugal continuou tranquilo, o que não escusou algumas pessoas de manifestarem as suas preocupações. Almeida Santos, por exemplo, lançou o seguinte aviso, acerca da construção do aeroporto na margem sul.
"Um aeroporto na margem sul tem um defeito: precisa de pontes. Suponham que uma ponte é dinamitada? Quem quiser criar um grande problema em Portugal, em termos de aviação internacional, desliga o norte do sul do país"
Outras vozes lançaram outros avisos, quase todos a roçarem o ridículo no sentido em que, se formos a ver bem, ainda há muita gente no mundo que pensa que Portugal foi atacado no dia em que Espanha foi atacada. Se pessoas com acesso à Internet e alta tecnologia julga que Portugal é uma província de Espanha, não há razão para duvidar que pessoas que vivem em cavernas, e que lançam ameaças ao mundo através de cassetes áudio BASF Ferro, acreditem no mesmo.
Por mais que a gente tente, a Alcaeda está-se nas tintas para a gente. Porque razão Portugal ainda não definiu a sua estratégia antiterrorista? Porque ninguém nos leva a sério. Eu sei o que está a pensar, caro leitor. “Então e a ETA? A ETA fica aqui mesmo ao lado e eles sabem que nós somos um país independente e podem-nos atacar. Até já encontraram uma base nas Caldas da Rainha.”
Como é que eu explico isto? Pois bem. Eu moro na minha casa, onde tenho os meus objectos pessoais todos. Nos tempos livres gosto de brincar com explosivos. Para isso não fazer bum e eu não ficar sem casa, arranjo um sítio para guardar isso. De preferência, longe da minha casa. Percebeu? O que encontraram nas Caldas da Rainha não foi uma base da ETA. Foi uma arrecadação.

Sem comentários: