04/07/10

TERMINUS 114: ASSALTO À MARRETADA

Um grupo de homens encapuzados assaltou um posto dos CTT na Maia. À hora do assalto o estabelecimento já estava fechado, por isso tiveram de partir o vidro à marretada. Os ladrões levaram dinheiro e ameaçaram os funcionários.

Esta é a parte objectiva da notícia; a seguir vem, não uma, mas três análises a este caso. (Catita, hã? Estavam à espera de um artigo e acabam por ler três! Quem é amigo, quem é?)


1 – A PERSPECTIVA DOS ASSALTANTES

O grupo de assaltantes de sexo não apurado – as notícias podem tê-los descritos como homens, mas podiam muito bem ser mulheres com voz grossa; com a cara tapada não há como saber – chegou atrasado. Isso revela, por um lado, falta de planeamento e, por outro, falta de empenho. A desculpa do motorista que se enganou no caminho ou a do parceiro que tinha de ir levar a mais nova à dança não pegam. Se era para estar lá antes daquilo fechar, só tinham era que se despachar.

Porém, o facto de terem as marretas à mão significa que estavam já preparados para um eventual atraso. Continuam a ter menos um ponto pelo desempenho geral, mas o ponto extra que recebem por terem antecipado um obstáculo ajuda a equilibrar as contas.


2 – A PERSPECTIVA DOS ASSALTADOS

Para os funcionários do posto assaltado, a acção dos meliantes, além de danosa, foi parva.
Ainda ontem 'tive aqui que tempos a esfregar o vidro com produto que houve alguém lá fora que devia ter óleo ou sei lá nas mãos. Encostou-se lá fora, 'tava aquilo cheio de dedadas. Foi a manhã toda de roda daquilo pra ó depois acontecer isto.” Palavras da dona Francisca, responsável dos Serviços de Limpeza da Estação.

O Chefe da Estação disse não compreender o que se passava na cabeça daquela gente. “O pessoal já tinha vindo todo buscar o dinheiro das reformas. Não sei o que é que vieram cá fazer àquela hora. Mais valia terem batido à porta.”


3 – A MINHA PERSPECTIVA

Com que então um assalto com uma marreta? Isto está bonito, está! Os meninos (ou meninas) por acaso não tinham nada que desse mais nas vistas? Como é que faziam para esconder a marreta? Dentro das calças? Imagino as caras de espanto de quem se vos viu assim.

Eu até gosto de marretas e entristece-me ver esse objecto nas mãos de alguém com tão pouco discernimento.

Baza assaltar os Correios com uma moto-serra!”

Não sejas parvo! Com uma marreta é mais giro!”

Iá!”

E os senhores dos CTT? Não podiam ter esperado um bocadinho antes de fecharem a porta? Que mania! 'Tavam muito cansadinhos, era? Os Correios fecham às seis e meia, o assalto foi ao fim tarde. Não deve ter passado assim tanto tempo que não pudessem esperar um bocadinho.

Agora, além do dinheiro que foi roubado, ainda vão ter de desembolsar mais umas massas para comprar um vidro novo. Tudo isto seria evitável se tivessem esperado um pouco. Pode ser que vos sirva de lição para a próxima.

1 comentário:

André Seco disse...

Parabens, joel esmerou-se este artigo esta muito giro estou a ver que a dona francisca e assim tipo percegonha de vozinha fininha e do genero da maximiana