04/07/10

TERMINUS 117: RESPOSTA ANÓMICA

Soube hoje da primeira opinião publicamente manifestada em relação a uma crónica humorística da minha autoria publicada no jornal O RIO. A crónica em questão fazia referência a uma série de eventos que tinham sido levados a cabo por grupos ou simpatizantes anarquistas.

O blogue ALHOS VEDROS AO PODER já me era familiar, não apenas de nome, mas também pelo “outwall” à entrada de Alhos Vedros. Visitei-o uma vez há uns anos atrás e nunca mais lá voltei. Não por concordar ou discordar das suas reivindicações, apenas porque prefiro blogues em que as vírgulas e outros sinais de pontuação são usados correctamente. Além disso, aquela panóplia de cores garridas e os pedaços de texto em destaque fazem-me mal aos olhos. Já me tinham dito que ler em transportes públicos pode causar um deslocamento da retina. Por recear que o mesmo, ou pior, pudesse acontecer se continuasse a ler aquele blogue, decidi não ler mais.

No dia 4 de Julho voltei lá e com cautela (não fosse o texto estar escrito assim), lá fui eu ler o artigo. Opiniões à parte, tenho de dar algum valor ao que lá vem escrito. Por exemplo:

O escriba quando se refere a Anarquia como sinônimo de desorganização poderia talvez se o soubesse o que duvido, estar a referir-se a Anomia que isso sim é sinónimo de caos e desordem que advem duma situação calamitosa a que o estado e os poderes levam uma população ou um País, como é o caso de Portugal que se encontra à beira da Anomia.

Viram? Sem saber o que era a Anomia, acabei por escrever um artigo sobre esse fenómeno. Por acaso, estava convencido que Anomia fosse uma variante de Anemia, exclusiva de pessoas com o tipo de sangue O. Agradeço ao blogue ALHOS VEDROS AO PODER por me ter esclarecido.

Como este meu crítico aponta, e bem, além de não perceber nada de anarquia Anarquia, eu ainda tento fazer troça de algo que me é “manifestamente desconhecido”. (Eu tenho a mania de gozar com assuntos sobre os quais não sou formado academicamente. Também insisto em escrever sem utilizar cores berrantes ou sem destacar trechos de texto para dizer aos meus leitores “Eh pá! Esta parte aqui é IMPORTANTE! Leiam ISTO!”)

Confesso que desconhecia a cláusula que diz ser proibido fazer humor seja com o que for se não formos mestres nessa matéria. Em relação à Anarquia, uma vez que não sou politólogo para dissertar sobre esse tema, o que eu fiz foi pegar na concepção que a sociedade em geral tem do mesmo e hiperbolizá-lo. É uma cena que se faz em humor.

Fico a imaginar como se comportará este meu crítico num espectáculo de comédia.

Há um tipo de hospital que nunca recebe reclamações: o hospital psiquiátrico. Não é que não recebam, mas eles têm um argumento que nunca falha:
Não liguem ao que ele diz. Vê-se logo que o tipo não bate bem.”

Para mim, isto é uma simples piada. Para o meu crítico será matéria para um artigo sobre a minha ignorância em relação a hospitais psiquiátricos. Previsivelmente com vírgulas, mal, colocadas, e pedaços de texto em grande destaque.

1 comentário:

AV disse...

Não tem nada que agradecer Joel, o AVP está aqui mesmo para ensinar e cultivar os seus leitores e não leitores, como o foi no seu caso, sobre a confusão muito usada aliás, entre Anarquia e Anomia, por vezes de maneira propositada, para confundir e colocar tudo no mesmo saco, tentando fazer com isso prepassar um estatuto de describilidade e de menoridade para com a Anarquia e os valores a ela inerentes, como a moral Anarquista. Os Marxistas usam muito esse estratagema, o que parece não ser o seu caso porque assume desconhecimento sobre o tema.

Ninguém está obrigado a saber tudo e pode muito bem fazer humor sobre o que bem entender, especialmente sobre os erros que os editores do AVP cometam e são bastantes, tem aí uma temática bastante hilariante, pelos menos nós achamos, senão não fariamos o AVP.

Errar é Humano !

O desconhecimento não é sinónimo de estupidez, o conhecimento e a sua não divulgação, é !

Sobre as considerações estéticas, são tão válidas como as nossas...é pena isso das cores lhe fazerem mal à vista, o AVP recomenda que nesses textos policromados se usem óculos 3D !!!

Os pontos de exclamação e interrogação estarem com um espaço além do final da frase, é proposital, é uma imagem de marca que utilizo desde o início, indiciadora da autoria dos texto. Nunca tinha referido isto, mas ainda bem que notou, assim se vir algum texto assinado com essas características, quem sabe se até descobre quem é o AV2...muitas hipotéses já foram aventadas, aí por volta de 10 :)

Cumprimentos Anarquistas,
AV2

E é verdade também existem os Anarquistas de direita, nos EUA inclusive há um partido Libertário de direita que quer que tudo seja privado, eu gosto da ideia desde que se acabe com o dinheiro.