26/11/10

TERMINUS 175: À ESPERA DE

Sempre que faço compras pela Internet gosto de receber as coisas a tempo e horas. Se no site diz que demora entre 48 horas e já passa das 49 horas, eu começo logo a ligar para lá a perguntar o que se passa. Não vá alguém se ter esquecido de colocar o selo na embalagem e esta ter ficado perdida numa estação dos CTT no Cabo Ruivo.
É assim que se faz, senhores do Governo que organizou esta Cimeira da NATO. Quando se gasta dinheiro numa encomenda e a encomenda não chega, exigem-se explicações. E não digo declarações do género,
“O Governo irá analisar o que aconteceu e proceder da forma que achar mais adequada.”
O que aconteceu foi que o Governo Civil de Lisboa abriu concurso para a adquirir seis blindados para a Cimeira da NATO e o primeiro blindado só cá chegou um dia depois da Cimeira ter terminado. Ainda bem que nós não comemoramos o Dia de Acção de Graças. Arriscávamos um incidente internacional ao ter cá o Obama para jantar e o peru só estar pronto na semana seguinte.
Eu sei como é. Às vezes, quando faço as minhas encomendas, estou ciente de que podem haver atrasos na entrega. Quando produtos que vêm de outros continentes é normal que isso aconteça. Por outro lado, as minhas encomendas nunca ultrapassam os 50 euros e raramente atingem esse valor. O Governo Civil de Lisboa disponibilizou mais de 1 milhão de euros em material que não chegou cá quando devia. O mínimo que se exige era o senhor Governador ir à varanda e dizer a quem passasse,
“Olhe vizinha, então não é que gastei 5 milhões nuns blindados e os sacanas não me entregaram aquilo ainda?”
E a vizinha depois ia contar a toda a gente, que é isso que as vizinhas fazem. Aposto que os senhores dos blindados iam ficar com as orelhas a arder duma maneira que não tardariam a reconhecer o erro que haviam cometido.
Apesar destes incidentes, o que me está a fazer espécie não é o atraso na entrega. São as contas. O Governo Civil de Lisboa disponibilizou 5 021 494,78 euros para a aquisição de material; desse dinheiro gastaram 1 080 000 euros na compra dos seis blindados que ainda não chegaram e mais 714,924 euros em outros materiais. O total de despesa apresentado foi de 1 722 924. Mas se fizermos as contas, verificamos que o que se gastou realmente foi 1 794 924. Houve 72 000 euros que alguém pôs e eu não sei quem foi.
Mas há mais. Pelas contas oficiais, sobraram 2 704 000 euros; pelas minhas sobraram 3226570,78 euros. A diferença é de 522570,78. Ou eu não sei fazer contas (o que é possível), ou alguém anda a meter dinheiro ao bolso ou então é dos portes de envio. Se for daí é bom sinal. É sinal que mandaram vir os blindados de Júpiter. Fico contente. Embora preferisse que tivessem vindo de Plutão, planeta que regia o meu signo até pisar o risco e ter sido despromovido a calhau.

Sem comentários: