27/03/11

TERMINUS 231: ABUSO DE MENORES

Sou a favor das regras, quando aplicadas devidamente. O "é assim porque é" não resulta comigo. Sou contra qualquer tipo de imposições. Porque o respeito conquista-se, não se impõe. Este artigo é dedicado a algo que está sempre na moda. Infelizmente. Falo do abuso de menores. Sei que não é um tema fácil de endereçar, mas tem de ser.
Não vou falar da pequena Joana, da pequena Esmeralda, das vítimas da Casa Pia, ou de qualquer outro caso já esmifrado em praça pública. Vou antes falar de algo mais pernicioso e ignorado. Algo que acontece todos os dias sem que ninguém faça nada.
Falo dos "Malucos e Filhos, das duas versões dos "Batanetes", dois programas que, felizmente, já saíram do ar, mas deixaram a sua marca. Aliás, vou aproveitar para ir mais longe: todas as séries de televisão que existem agora, todas, feitas por ou para crianças deviam ser consideradas perigosas. Estão a tornar os putos estúpidos. Há uma diferença grande entre programas não violentos e programas que não deixem as crianças pensar por elas próprias. Pensem nos Morangos com Açúcar e nos outros exemplos televisivos que dei, olhem para os vossos filhos, e tirem daí  as vossas conclusões.
E eu sei que muitos de vocês vêem os Morangos com Açúcar. Ainda mais grave que ver, sei que muitos de você até gostam. Deixem-me que vos diga uma coisa. Os Morangos com Açúcar são apenas uma nova versão dos "Riscos". Lembram-se dos "Riscos"? Aquela série magnífica em que havia um bacano que os amigos queriam internar numa clínica de desintoxicação por ter fumado um cigarro? Não foi um charro, foi um cigarro!
Foi mais ou menos a partir daí que eu deixei de ver a série. A cena da gaja que pensava estar grávida porque o namorado pôs-lhe a mão nas cuecas ainda deixei passar, mas esta do cigarro...
É disto que eu falo! Realidade! Pais, abram os olhos!
Se suspeitarem que o vosso filho de dezasseis anos anda a fumar... Alerta! Ele já fuma desde os treze. Ele não começou a fumar uma semana antes de vocês descobrirem.
Abram os olhos!
Eles podem não ser inteligentes, mas são espertos. Mais do que vocês querem acreditar.
A televisão é feita para entreter, não para educar. Os pais culpam a televisão por não corresponderem às suas expectativas. E é aí que está o erro.
Pais, preparem as crianças para a vida – não as sentem em frente da televisão à espera que corra tudo bem. Não vai correr. Vai haver merda. E a culpa vai ser toda vossa. Só vou dizer uma vez, por isso prestem atenção: prevenção. Pensem nisso.
E não pensem que lá por não dizerem palavrões em casa à frente dos vossos filhos, que eles não os vão aprender. Se for preciso, eles até vos ensinam palavras novas. É que não tenham dúvidas disto: pior do que dizer asneiras, é dizê-las de forma errada.

Sem comentários: