05/04/12

TERMINUS 296: ANDAR DE AUTOCARRO 1 – RAZÕES PARA & PASSAGEIROS

Detesto o trânsito. A sério que detesto. Para mim não há nada pior do que levar três horas de carro a fazer um trajecto que se pode fazer perfeitamente numa hora a pé. O problema, no meu ver, está nos carros. Não tenho nada contra os carros, atenção, mas, sinceramente, acho que dois carros por pessoa é um bocadinho demais. Para que é que alguém quer mais do que um carro se só pode andar com um de cada vez? É dia sim, dia não?
Há quem tente combater esse problema, usando os transportes públicos. Só que já se sabe que nestas coisas ou é 8 ou é 80. Ou vai tudo de carro, ou vai tudo de transportes. Não há meio-termo. Eu antes queixava-me porque havia muita gente a andar de carro e a entupir o trânsito. Hoje é o contrário. Anda tudo de transportes públicos. Até mesmo as pessoas que têm carro. Passámos de alguns milhares para alguns milhões. É exactamente a mesma coisa que viajar numa lata de sardinha: às tantas vale mais um gajo ir a pé.
E depois vem a qualidade dos passageiros. Oh sim! São do melhor que há! O meu preferido é aquele que fala. Não faz nada – só fala. E o pior é que fala, fala mas não diz nada de jeito.
Também gosto muito daquelas mulheres que vêm com dois riscos a fazer de sobrancelhas. Acho que elas só falam porque acreditam que é a única relação que ainda podem estabelecer com o mundo da maneira que andam na rua. Fazem-me lembrar aquele filme dos palhaços assassinos, o ‘Clown House’.
Eu não percebo porque é que as mulheres rapam as sobrancelhas. Eu acho que, na opinião das mulheres, não existe nada na face humana que pareça bem da maneira como vem ao mundo.
Maquilhagem, eh pá, tolera-se. Operações ao nariz, enfim. Somos nós que as pagamos a maior parte das vezes, ou então os pais, mas pronto. Agora, rapar as sobrancelhas? Quem é que olha para as sobrancelhas? (Abra-se aqui um parentesis para dizer que não arranjar as sobrancelhas não significa andar com dois esquilos por cima dos olhos.) O mais estranho nisto tudo, é que elas rapam as sobrancelhas para ficarem mais atraentes, mas depois têm a bela ideia de pintarem umas sobrancelhas falsas por cima.
Não sei o que é que vocês acham, mas a imagem duma mulher com sobrancelhas falsas e lábios pintados com aquele vermelho berrante, o cabelo armado com quilos de laca em cima e os óculos versão Amália assusta-me um bocado. Parecem um bando de clones. A mim assusta-me. Quando não parecem palhaços parecem travestis. É esta a ideia de sedução que querem transmitir?

Sem comentários: